A estratégia "tire tudo da cabeça"

05:00



Eu já falei aqui sobre listas e sobre preocupações, mas sentir falta de ter um texto aqui no blog te explicando um pouco melhor essa técnica de "descarrego" que eu recomendo para todo mundo que eu conheço o tempo todo. O objetivo da técnica é organizar a mente para lidar com as atividades e a rotina, pendências e preocupações. Então bora esvaziar a mente?!

Em qualquer processo de organização, a primeira etapa é sempre reunir informações. Coletar dados e/ou objetos. Isso ajuda a te entender e entender o seu contexto atual. E é justamente isso que a técnica "tire tudo da cabeça" possibilita, levantar informações para te dar uma clareza maior a respeito do que está rolando na sua mente.

Os benefícios são muito parecidos com a técnica de Escrita Livre que eu já expliquei aqui e aqui: com a mente livre você consegue focar melhor, ter clareza do que é preciso fazer, pensar melhor em alternativas e soluções. As diferenças principais entre as duas é que aqui o pensamento é mais estruturado e linear, enquanto a escrita livre é, como o nome diz, mais livre. Por outro lado, a escrita livre elimina o julgamento e o nosso lado crítico, enquanto aqui ele continua a espreita. É por isso que elas devem ser vistas como duas alternativas, ferramentas para você usar de acordo com a necessidade.

Quando as informações estão confusas e com sentimentos e sensações envolvidas, é melhor deixar o julgamento de lado e mergulhar fundo usando a escrita livre. Mas se a questão que está te incomodando mais é o volume de informações e a sobrecarga, então a "tire tudo da cabeça" vai logo direto ao ponto, algo como um alívio imediato. Use esse critério para decidir e vai dar tudo certo.

Mas enfim, vamos a prática! Vou te explicar como a técnica funciona:

  • Coloque um alarme de pelo menos 15 minutos
  • Pegue algo para anotar (papel e lápis de preferência porque o papel trás uma concretude importante para a dinâmica)
  • Sente confortável
  • Deixe os pensamentos virem
  • Preste atenção e anote tudo o que vier
Se você já meditou ou já leu sobre meditação vai perceber que é algo similar. Na meditação a gente deixa a mente livre prestando atenção a respiração e notando os sentimentos, pensamentos e sensações, reconhecendo-os e deixando-os ir. A diferença aqui é que, entre reconhecer e deixar ir, a gente coloca no papel.  Essa mudança, ajuda os mais ansiosos, garantindo que aquilo não vai se perder e então liberando-os para deixar a mente mais vazia.

Feito isso, você vai se deparar com um papel lotado, uma lista imensa de coisas. Isso pode levar ao desespero, pelo menos para boa parte das pessoas que eu atendi em consultoria. Então eu preciso te explicar que: antes fora no papel, palpável e às claras para você atacar e resolver, do que ocupando espaço na sua mente e não te levando a lugar algum. Lembre que essas coisas não surgiram do nada, elas já estavam aí dentro te impedindo de focar em coisas importantes, percebe? 

Ter uma lista de ações em aberto (pendências, atividades, compromissos, lembretes, preocupações, sentimentos) é parte da sua vida, ou pelo menos deveria ser. E a lista não vai nunca deixar de existir. Ou você se acostuma com isso ou vai viver enxugando gelo e apagando incêndio, o que você prefere? Eu prefiro ter uma visão clara que eu posso decidir como tratar. Com essa lista em mãos eu posso decidir o que eu deixo ir, o que eu delego, o que eu assumo, o que eu executo direto, o que eu planejo e coloco na agenda. Eu sei onde está, eu sei como lidar. 

Agora experimenta por aí e me conta!

You Might Also Like

0 comentários

Sou associada ANPOP