Listas por contexto

05:00


Eu vivia escutando falar de GTD (Getting things Done, metodologia de produtividade) e já tinha começado a ler o livro do David Allen (A arte de fazer acontecer), mas me parecia complexo demais, então absorvi somente a parte da captura, de tirar as coisas da cabeça e criar listas e me dei por satisfeita. Mas, no fundo, eu queria entender esse método, então fiz o curso no nivel 1 com a Thais Godinho, sonho antigo. E foi quando tudo fez sentido. Estou aplicando aos poucos e já sinto uma diferença, vou compartilhando aqui com vocês as minhas impressões aos poucos, prometo. Hoje quero começar a série de posts #GTDdeAlice contando sobre as listas por contexto.

Todo mundo faz listas. A do supermercado, o que levar na viagem, coisas pra fazer no dia, ou no dia seguinte. Tem um trecho do filme "Eu não sei como ela consegue" que fala sobre listas (e outras coisitas mais sobre produtividade e a rotina de mãe, aliás) e é super divertido, olha só:


Eu fazia uma única lista, contendo tudo o que passava pela minha cabeça e envolvia uma ação que precisava ser feita. Eu ia atualizando ela diariamente, seja cortando o que já havia feito, seja incluindo novos ítens. Depois do curso de GTD, as listas alcançaram um próximo nível, o que fez toda a diferença pra mim e eu já vou te explicar porque e como você também pode fazer isso.

O GTD introduz o conceito de listas de contexto. Ao capturar uma ação ou atividade sob sua responsabilidade você deve se perguntar: esse ítem deve ser realizado em um contexto específico? Ou seja, eu preciso estar na rua, ou no celular, ou no computador, ou de bom humor, ou com mais de 15 minutos, ou num dia de sol, ou sei lá, o que fizer sentido para você?! E aí você vai distribuindo os ítens por contexto. Eu tenho as listas: coisas para fazer no email, coisas para fazer no computador, coisas para fazer no celular, coisas para fazer em casa (que não envolvem nenhuma das outras coisas), coisas para fazer na rua (que não envolvem nenhuma das outras coisas), coisas aguardando resposta, produção de conteúdo e coisas para estudar. 

Pode parecer muito, loucura insana pra gerenciar, mas te garanto que é bem mais fácil do que gerenciar uma lista única, que era como eu fazia antes. Com essas listas eu não fico agoniada procurando a próxima coisa que eu posso fazer, eu respiro, entendo o contexto em que estou, pego a lista do contexto e faço o máximo de ítens que posso e cabem naquele período de tempo.

Vou dar um exemplo para ficar mais claro: levei a minha filha na escola e sobrou um tempo antes do próximo compromisso, pego a lista de coisas do contexto rua e vejo se posso adiantar algo, se não fizer sentido, vou pra casa e lá então pego a lista de coisas para fazer em casa ou no computador. Outro exemplo: atendo uma ligação de trabalho e depois, já que estou no celular, aproveito para checar se tem algo na lista de coisas pra fazer no celular que já posso adiantar.

Só uma coisa, para ficar claro, não eliminei o planejamento. Ele continua firme e forte. O que a lista por contexto faz é me ajudar a adiantar coisas nos momentos entre planejamentos, aquele tempinho extra que, se a gente bobear, acaba sendo usado para coisas que sugam nosso tempo como redes sociais, internet e netflix, sabe como é?!

Para começar a criar suas listas por contexto, a primeira coisa que eu sugiro que você faça é tirar um tempinho para descarregar o seu cérebro. Anota tudo que passar pela sua cabeça, sem se preocupar com nada, vai só anotando tudo o que surge, coisas para fazer, por menores que sejam. Passe pelos seus projetos pessoais e de trabalho, dê uma volta em sua casa, dê uma olhada no bloco de anotações e papeis na sua mesa ou bolsa, respire e registre tudo. 

Quando estiver se sentindo mais leve, volte em cada ítem e pergunte: eu tenho tudo que preciso para realizar essa ação, ou tem algo que preciso fazer antes de poder fazer isso? Se a resposta for sim, detalhe um pouco mais a sua lista (você tem um mini projeto aí que precisa ser detalhado). Aí quando você tiver uma ação que so depende de tempo e disposição para ser feita, se pergunte se ela pode ser feita em qualquer lugar e em qualquer material e vá criando seus contextos a partir dessas respostas. Cada pessoa vai ter seu conjunto de listas e vai se sentir melhor classificando de um jeito. O mais importante é que elas não se confundam entre sí para facilitar a classificação.

Que tal aplicar essa ideia na sua rotina?


You Might Also Like

0 comentários

Faça parte da minha lista!