Resenha - Celular, como dar um tempo

05:00


Já tava na minha lista esse livro da Catherine Price tem um tempinho. Finalmente consegui ler, em Novembro de 2018 e ele me fez pensar. E olha que organização digital é a minha praia e eu tô ligada em como funciona a tecnologia por conta da minha formação. Mas ver tudo reunido assim em um só lugar deu uma pressão forte e mexeu comigo.

Ela já começa de uma maneira muito divertida, com uma carta para o smartphone dela, pedindo um tempo. Tipo fim de namoro, sabe? Massa essa relação, quando você percebe que não tá legal e que precisa de um pouco de distância pra pensar melhor. E o que ela propõe no livro é bem isso mesmo. 

Mas antes de todo o processo de desintoxicação tecnológica, ela mergulha fundo nos problemas da vida digital. Discorre sobre pesquisas sobre comportamento e todos os problemas que os smartphones nos trazem, como vicio, depressão, perda de foco e concentração, para citar alguns. 

Só que o que mais me impressionou de verdade foi ver claramente como as redes sociais e aplicativos são feitos conscientemente para prender nossa atenção e nos distrair a passar mais tempo nelas e então vender essa nossa atenção para os anunciantes. Não é teoria da conspiração não, quem dera! É real, os celulares são feitos para viciar. É dopamina na veia! 

“A dopamina tem muitas funções, mas a mais importante para nós é saber que, ao ativar receptores de prazer no cérebro, ela nos ensina a associar certos comportamentos a recompensas.”

E o trecho com a fala do Ramsay Brown, fundador da startup Dopamine Labs: 

Vocês são cobaias. São cobaias na jaula apertando o botão e, às vezes, recebendo curtidas. E eles fazem isso para mantêm-los lá dentro.

Enfim, depois do terror, o alívio de saber que tem como rever nossa relação com a tecnologia e retomar o controle das nossas escolhas, além de, claro, aprender a quebrar esse ciclo do hábito, trocando por melhores escolhas.

Ela apresenta um programa de 30 dias com exercícios de autoconhecimento, mindfullness e auto-observação. Para que você possa repensar de fato como você quer usar a tecnologia a seu favor.

Não vou dar detalhes pra não estragar o livro. Mas se você quer sugestões e dicas para começar a refletir mais sobre o assunto, recomendo. Talvez seja difícil para você algumas configurações e ajustes no seu smartphone, ou mesmo definir sua rotina de uso ideal e produtiva. Se esse for o seu caso, conta comigo.

Resumindo, é como eu disse com a Gabriela Brasil no primeiro episódio do Podcast do ano passado…a tecnologia é uma ferramenta e você pode usar ela a seu favor desde que seja uma escolha consciente. Sem essa consciência é muito difícil, porque ela foi feita para te entreter e tornar sua vida mais fácil, apesar de não necessariamente mais útil ou produtiva.

Eu diria que esse livro é um bom complemento prático das reflexões filosóficas do Blackberry de Hamlet.

E você ja leu? O que achou? Deixa suas impressões aqui nos comentários.

You Might Also Like

0 comentários

Faça parte da minha lista!